close
NOTÍCIASUncategorized

Comprar bem insumos significou economizar 11,0% em 2016

alice-026

A compra bem-feita, seja de insumos, bovinos para reposição do rebanho, máquinas ou qualquer outro item que compõe o custo de produzir, deve ser considerada para maximização dos resultados das atividades agrícolas e pecuárias. Em um arrendamento que explora a recria e engorda, que termina um bovino aos 30 meses, entre 40,0% e 45,0% do custo total é proveniente de suplementação e do protocolo sanitário. Em uma boiada confinada por 90 dias, ao redor de 25,0% do custo vem de gastos com insumos. Na agricultura, os insumos pesam mais. Em uma lavoura de soja, por exemplo, em média, 65,0% de todo o desembolso será dispendido em defensivos, fertilizantes e sementes.

Se insumo é premissa para ser produtivo, é importante caprichar na compra. Por exemplo, quem adquiriu farelo de soja no melhor momento do ano em termos de preços, em abril, pagou 19,0% menos, se comparado a uma compra feita em junho. Para se ter uma ideia do tamanho do impacto da decisão de uma compra de insumos bem-feita, consideramos todos os produtos utilizados no cálculo do Índice Scot de Custo de Produção da Pecuária de Corte e montamos uma variação entre o menor e o maior preço do ano. Veja na figura 1.

Deve-se observar que comprar no menor preço não significa que o custo da atividade caia tanto quanto a média, 11,72%, pois cada produto tem participação diferente no custo total.

Se reduzirmos o preço dos suplementos minerais em 8,8%, através de uma compra bem-feita, conforme a figura 1, o custo total desta operação cairia ao redor de 1,1%. Parece pouco, a ponto de muita gente ignorar o planejamento de compra.

E como é no dia-a-dia? O mais comum é ver “a briga” do produtor por uma arroba R$151,00/@ quando o mercado está em R$150,00/@. Ele segura a boiada, protesta nas redes sociais, diz que o comprador não está fazendo força para comprar, enfim, faz o maior barulho.

E, uma carcaça de 18 arrobas deixa receita de R$2,7 mil quando vendida por R$150,00/@. Negociando por R$151,00, a receita sobe R$18,00. A economia de 1,1% que a compra do suplemento mineral no melhor momento representou é igual a R$22,00 a menos no custo, ou seja, a economia é R$4,00 mais vantajosa do que a venda por um R$1,00/@ a mais. Isso sem contar que a suplementação é somente um dos vários itens que compõem o custo de uma fazenda.

Portanto, planejamento de compra de insumos é tão importante quanto negociar bem a boiada e tanto quanto saber o custo de produção. Esses fatores se complementam para gerir bem a atividade.

E para planejar, basicamente, é preciso acompanhar o mercado dos insumos e os fundamentos que determinam cada um deles. 

Por Alex Santos Lopes da Silva – Scot Consultoria
Encontro de Analistas da Scot Consultoria – 25 de novembro – www.encontrodeanalistas.com.br